domingo, 20 de dezembro de 2015

ARTE DO PRESENTE

Assisti ao filme "O camareiro fiel",que narra o cotidiano de uma companhia de repertório do mais importante dramaturgo de todos os tempos e um dos mais brilhantes artistas da história, poeta, escritor e ator William Shakespeare,durante a segunda guerra mundial. O ator, líder da companhia, chamado de Sir, doente e com a alma ammargurada, luta desesperadamente com seus próprios conflitos, a dedicação do seu camareiro, diante da companhia de atores idosos, isentos do serviço militar. Fiquei pensando no papel da arte, diante do desespero da guerra, conflitos, crises econômicas e toda a sombra que envolve ser humano. Um diálogo com o camareiro me tocou profundamente,acredito que quem faz arte, em qualquer parte do mundo, sentiu um desejo de continuar fazendo teatro, dança,ou simplesmente continuar vivendo,apesar da idade, da rotina, da crise, da alienação e ausência muitas vezes de profundidade e sensibilidade para a poesia diante de um mundo caótico. O personagem nos fala que a sorte escuta nossos esforços. E deseja que cada palavra seja um escudo contra selvageria,uma proteção contra o terror.Segundo ele, a vida é feita de luta e sobrevivência. Eu acrescento o sonho. .

sexta-feira, 11 de dezembro de 2015

PROPORÇÃO ÁUREA E ARTE

A proporção se refere a uma determinada relação entre as partes que mantêm uma ordem entre si capaz de serem especificadas. O termo pode ser aplicado de diversas formas e em várias áreas, mas é utilizado especialmente em algumas disciplinas. Esta circunstância se explica pelo fato de que guardar uma proporção entre diferentes elementos é crucial e deve ser refletido da melhor maneira possível. Na Grécia Antiga, por exemplo, graças à alta valorização da beleza, a ideia de proporção era muito valorizada e também foi estendida ao plano moral, onde os atos deveriam estar relacionados em uma medida ou restrição; assim, uma falha neste sentido era sem dúvida castigada pelos deuses. Diante do exposto, fica claro que as primeiras disciplinas que fazem uso da proporção são as artísticas. Entre elas, a que mais necessita desta circunstância é a pintura. De fato, para que um desenho ou pintura funcione como um reflexo da realidade é necessário guardar certa proporção entre as partes. Um famoso exemplo é a obra “Homem Vitruviano” de Leonardo da Vinci, que reflete a proporção que deve existir entre os membros de um homem desenhado. O gráfico é acompanhado com notas de pesquisa anatômicas que servem como uma explicação para esta técnica. No caso da escultura, vale o mesmo critério da pintura. A proporção deve ser respeitada nos casos em que se representam os seres vivos, em particular os seres humanos. Os gregos foram os principais cultivadores deste tipo de critério, circunstância que pode ser evidenciada facilmente ao observar as amostras do passado. Com o tempo esta característica se perdeu e somente voltou com o Renascimento, momento em que foram revalorizados os conhecimentos próprios da Grécia Antiga e de Roma. Na arquitetura, a proporção tem a ver com o fato de que os pesos de uma estrutura sejam distribuídos adequadamente e não deem lugar a situações de perigo. Assim, a estrutura que sustenta um edifício deve manter uma proporção entre as partes a fim de evitar os desequilíbrios que podem causar desmoronamentos. Quando se observa a natureza, podemos perceber claras situações de simetria e, portanto de proporção. Esta circunstância foi estudada em algumas ocasiões e deu lugar a algumas teorias e relações matemáticas que podem destacar ainda mais a noção de proporção na arte. ... Via conceitos.com: http://conceitos.com/proporcao/

A ARTE DO PRESENTE

A natureza é observada e é fonte de inspiração. Platão dizia que tudo na criação era imitação. Sócrates dizia que a natureza era imitação. Mímises é a imitação (imitatio, em latim), designa a ação ou faculdade de imitar; cópia, reprodução ou representação da natureza, o que constitui, na filosofia aristotélica, o fundamento de toda a arte. "As pessoas são mimésis umas das outras, principalmente quando trata-se de suas idéias" O I ching, sabedoria milenar, tem a sua sabedoria contida através da observação da natureza. Por exemplo, o trovão vem da terra para despertar as sementes para a primavera.O vento quentinho vem nos descongelar, o fogo nos convida a ter aderência, florescer o que tem no nosso coração. Acredito que esta segunda pele que criamos, através da reelaboração da energia em cena, é o resultado do treinamento físico e da constante relação com a natureza e os recursos internos.Como estar em cena totalmente inteiro? Quando um artista consegue um grau de energia e humanidade que é impossível não se entregar, criar empatia e humanismo? A estrada é longa e passa pela humildade, virar humus, terra, lama. Dissolver o ego. Abaixo um texto sobre proporção áurea e a sua aplicação na arte. A possibilidade de criar e elaborar uma dramaturgia fundamenta o alto grau de observação da natureza e da vida real, para criar novos signos e símbolos. A humanidade precisa de histórias, embarcar em outros reinos e olhar o mundo de forma diferente.

quinta-feira, 3 de dezembro de 2015

VI FESTIVAL DE DANÇA SOLIDÁRIA DE BRASÍLIA

VI Festival de dança solidária de Brasília, reúne espetáculos de dança de companhias profissionais, companhias de dança especial e grupos de dança da melhor idade dia 06 de dezembro, acontece o VI Festival de Dança Solidária de Brasília, às 17h. O evento acontece no teatro Plínio Marcos - Funarte e, além de trazer arte e inclusão através da dança, incentiva o encontro de gerações,a superação dos limites através da dança e a doação. Os ingressos são adquiridos mediante a entrega de uma lata de leite em pó.Este ano teremos a partipação do Coral da casa espírita Amélia de Sousa,Maria Vilarinho, Las Ninfas, Namastê, João Gabriel, Tuareg ( Amanda Rosa, Raisa Latorraca), Dançart´Especial,Capricho Cigano, Verde Alles, Sônia Bichara, Lucas Bichara, Grupo Magia Cigana ,Atmos Companhia de dança, Capricho Cigano,Espaços de movimentos, Elton e Miryan,, Companhia de dança Ruth Santana, Nindiê Elendil, Deusas da lua,Cia de asas, Divas Dance, Convidados especiais o músico Arun e a banda Joelho de frango. O festival, criado em 2009, reúne diferentes gerações, espetáculos de dança de companhias profissionais, companhias de dança especial e grupos de dança da melhor idade.O projeto também lança todo ano um programa contendo o mapeamento e um guia de todos os projetos que atuam na inclusão da dança na vida das pessoas.O festival faz parte da programação da 1ª MARCA– MOSTRA ARTES CÊNICAS CERRADO AMAZÔNICO - que realiza recorte peculiar sobre a produção artística das regiões Norte e Centro-Oeste, reunindo obras que refletem a cultura popular e contemporânea de Goiás, DF e do Pará. Os alimentos arrecadados serão doados para a Instituição Mutirão Chico Xavier que, através dos voluntários, realizam obras assistenciais em Brasília desde 2002. A instituição atua através de assistência psicológica, cursos profissionalizantes e assistência material. VI FESTIVAL DE DANÇA SOLIDÁRIA DE BRASÍLIA Local-Teatro Plínio Marcos - Funarte Data- 06 de dezembro Ingresso - 1 lata de leite em pó 17/;00 horas

"TEMPOS MODERNOS"

Sou voluntária de uma ONG que tem como missão ajudar e promover conforto emocional e saúde mental a pacientes com depressão e pessoas...