Translate

sexta-feira, 6 de maio de 2011

Tradição e inovação




Parece que estou buscando uma ilusão de que serei compreendida, faço uma arte que não é totalmente Brasileira e nem tampouco Indiana. Sou atriz e dançarina , busco um eixo , um caminho do meio, uma arte que não tem rótulo e nem busca ser precursora de nada, apenas a sinceridade de movimentos em cena, acreditar que se pode ter uma alma que não se enquadra e a necessidade de buscar de" fora pra dentro", para que alguma coisa faça sentido. Não quero uma arte com legenda, a dança para mim é vivência , tocar o outro que me assiste e que pode dançar comigo. Mas os cãnones da dança são rígidos e as barreiras enormes. Como dançar e atuar ao mesmo tempo, ser Brasíleira com a alma Indiana nas veias. Mas nem eles entendem o meu amor e a minha falta de grana para largar tudo e encarar um mergulho profundo nessa cultura, não sou fã de justificativas, arte não merece explicação para não se alcançar o alvo,.meu foco é estudo e treinamento e me apropriar de mim mesma, afinal sinto que minha alma não tem pátria e que minha arte está nascendo. Se vou convencer depende de muito trabalho e treinamento.

2 comentários:

  1. Tocante! Adoro encontrar humanas como vc!!

    gde bj

    ResponderExcluir
  2. A dança me lembra todos os dias a minha fragilidade e força, comentários como o seu me realiza, sinaliza que estou no caminho e que mereço .

    grande abraço Cris Gurgel

    ResponderExcluir