Translate

segunda-feira, 20 de fevereiro de 2017

O IOGUE PERFEITO

Existem muitas técnicas e exercícios corporais baseados nos animais. muitos trabalhos corporais vivenciei em treinamentos pertencentes ao oriente e são praticados há milênios.Posso citar como exemplo a yoga, as artes marciais, o tai chi chuam e a dança clássica Indiana. O primeiro treinamento corporal baseado em animais que fiz foi em teatro. E depois a dança.Como sempre transitei nestes dois universos,desconheço esta fronteira ou dicotomia entre dança e teatro, estas duas manifestações acontecem na minha atuação de maneira simbiótica. Mas voltando a falar sobre treinamento físico e animais, o primeiro animal em que fui apresentada foi o gato, um exercício que imitava o gato em pleno equilíbrio enquanto alonga todas as partes do corpo, dificílimo de fazer. O professor percebeu a dificuldade de todo mundo e propôs como exercício: observar gatos. Ele ainda nos disse que o gato era um yogue perfeito. Nunca esqueci estes ensinamentos e quando dei um gato de presente para o meu filho e pude observar bem de perto constatei esse fato. Gatos são sensíveis, introspectivos e sutis.Algo que sem perceber me vejo praticando na vida e na minha arte. Ultimamente nosso gato está doente e quase morreu.Ficou internado com gordura no fígado. Eu presenciei sua agonia e em alguns momentos vi sua energia vital indo embora e a morte sorrateira se aproximando .Felizmente ele escapou de suas sete vidas e espero que ainda tenha seis de reserva. Mas o que me encantou apesar do meu sofrimento, foi a sua dor elegante, como dizia Itamar Assunção, só que o grande compositor e cantor Itamar Assunção(1949-2003) se referia à espécie humana "Um homem com uma dor é muito mais elegante". Bonito de ver a opção do nosso gato por recolhimento e solidão, como se sua alma estivesse refletindo, eu acredito que os animais têm alma e tudo bem se você que está lendo não acredita, tudo bem mesmo. O fato é que estou aprendendo a sentir dor com elegância e a não sair pedindo que alguém se importe. Este gatinho me ensinou a ser soberana até na dor e é desta capacidade de saber que no fundo temos esta qualidade que voltamos melhores.Este gato aguarda silenciosamente suas refeiçoes via sonda e ao tomar sua medicação abaixa a sua cabeça comedidamente.Presencio a sua total aceitação de sua condição e do possível fim do seu ciclo aqui na terra.Um gato simplesmente é, ele não almeja o devir, esta é a diferença para nós humanos que somos devir, que somos um universo de caminhos esperando por nós para serem trilhados e aprendidos. Estou em pleno aprendizado de cuidar da minha vida e do meu jardim. Busco isso sempre e agora ficou bonito através desta experiência de salvar a vida do meu gato, que despertou a compaixão de todos que o cercam. O que quero dizer é que a natureza sempre foi fonte de inspiração para aprimorar os humanos tanto na arte, quando na ciência ou na filosofia,bem e outros saberes. No xamanismo por exemplo nós temos a capacidade através de um xamã a entrar em contato com o nosso animal de poder e aprender com ele.Meu animal de poder é a borboleta e o meu aprendizado com elas além da metamorfose é a certeza da ordem no caos, não é lindo? Quando estou caminhando na rua eu percebo que se penso algo profundo e relevante para mim, muitas vezes sou cercada por borboletas. Sempre acontecia mas quando tomei consciência elas se aproximaram mais de mim. Descobri recentemente a origem da expressão o pulo do gato: a onça vivia admirada com a agilidade do gato e muito curiosa pediu ajuda ao gato.O gato aceitou e começou a ensiná-la. Achando que já havia aprendido tudo a onça resolveu pegar o gato como refeição, mas ele sumira. Dias depois ao encontrá-lo a onça perguntou sobre aquele pulo e cobrou a lição omitida e o gato respondeu que era aquele pulo que o mantinha vivo.Muitas vezes o aprendiz precisa se livrar do que aprendeu e trilhar o seu caminho consigo mesmo,ou quem sabe a perspicácia do gato seria calcular quando e como pular e quando decidir acertar o alvo se jogar, mesmo que esse salto o conduza à morte ou como se diz no oriente" Quando o discípulo está pronto o mestre aparece. Somos todos aprendizes.

Nenhum comentário:

Postar um comentário