terça-feira, 23 de agosto de 2016

NATUREZA SEM RETOQUES

Esta série de fotos com esta sequência coreográfica foi realizada num mirante. Diante da natureza, sem filtros, uma amiga que não é fotógrafa profissional, Marilda Castro. Ela pegou o celular e me fotografou, sem música diante do olhar sublime da natureza. Depois de costurar muitas coisas dentro de mim, só me restava dançar o silêncio. Ultimamente minha arte está ávida por chegar a todos que querem sentir minha dança. Estou dançando em asilos, congressos de ongs, espaços alternativos e todos os espaços que possam ser coloridos de vida e movimento. No próximo sábado dançarei para as idosas de uma comunidade carente aqui de Brasília. Neste espaço eu danço e depois coloco todo mundo para dançar comigo. Vejo os olhos destas mulheres maltratadas pelo tempo e o brilho no olhar delas em reconhecimento pela troca, por aqueles momentos de prazer. Onde o cotidiano fica poético e a vida menos amarga. Fico comovida sempre que chego a este espaço onde sou recebida com tanto carinho, eu que nem sou grande coisa e me sinto útil, fazendo alguma coisa. Acho a ação mais importante do que ficar atrás de um computador me lamentando o tratamento complexo destinado à cultura no nosso país. Ontem uma amiga que chegou da Austrália me disse que se seu morasse na Austrália seria rica. Em contrapartida ela também me disse que é um país seco, sem caos, sem sentimento à flor da pele. E a vontade de ficar foi maior, porque preciso de calor humano. Eu sei que não devemos generalizar nada, estou falando das impressões dela. O sonho de todo artista é sobreviver de sua arte, no entanto estou aqui me escrevendo em festivais e começando do zero a cada projeto. A diferença é saber que faço questão de estar no mundo dentro da minha verdade. Sabendo que mesmo no silêncio meu corpo dança, mesmo nos lugares mais inusitados minha alma está acesa.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

BLADE RUNNER

Ontem vi uma senhora grávida no último lugar num caixa de auto-atendimento, eu estava numa posição privilegiada na fila e estava lend...