terça-feira, 12 de abril de 2016

DANÇAR O SUBLIME NO ESSENCIAL

“Cada parte ferida de um corpo é a pista para uma causa maior e profunda, um sinal a ser lido e decodificado. Diz-se que as catedrais são livros de pedra. Nós somos livros de carne. Vivemos o que somos” Segundo a escritora Marta Medeiros, ser leve é a nova revolução.Vivemos uma crise de excesso de nós mesmos.Tomei emprestado, para falar sobre o efeito da dança em mim.Quando quero esquecer a minha importância e o peso que o excesso de contradições e conflitos me deixam pesada, me transformo no meu acontecimento dançando. Vou para um lugar onde nada importa, o banal é sublime, encontro beleza, nas ações do meu corpo, onde o pensamento não tem voz.Posso me sentir sem medo de julgamento ou patrulhas do corretamente modo certo de ser. Estou comigo. O corpo é um templo e cada parte dele pode ser usada e treinada para a sua melhor expressão.A grandeza do treinamento corporal reside na habilidade de harmonizar a dimensão física , intelectual, emocional e espiritual da vida, concedendo ao intérprete o poder de trocar e comunicar-se em vários níveis e atingir estados de consciência. A dança enquanto arte composta que sintetiza a melodia e o rítmo, a pintura,e a escultura, a poesia e o teatro,harmoniza a alma. Sem dança ou qualquer atividade que eleve a condição humana a vida fica árida e sem transcendência. Equilibrar no desequilíbrio, encontrar conforto no desconforto, transformar sua energia, entender as lições do corpo.A dançarina é simultaneamente o musico tocando com o seu corpo e o escultor, dando forma e estruturando o espaço em formas graciosas e poderosas. Desenvolver através da dança a riqueza de possibilidades corpóreas, para que a vivência do simples, do singelo e do encantamento devolva ao corpo a sua poética .Dançar com os olhos, com as mãos, com os pés, com a energia do próprio movimento individual, equilibrar de forma geométrica , andar com graça e leveza, e força. treinamento corporal para cada parte do corpo, dançar cada fragmento do corpo e sentir ao mesmo tempo integrar corpo-mente-alma, onde a dança é meditação. A dançarina é uma pesquisadora , cuja dança torna-se uma oferenda,uma experiência transcendêntal e transformadora,uma prece em êxtase que celebra a beleza, a busca pelo mistério da vida.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

BLADE RUNNER

Ontem vi uma senhora grávida no último lugar num caixa de auto-atendimento, eu estava numa posição privilegiada na fila e estava lend...