DANÇARINO-ATOR-ILUMINADO

A natureza é observada há milênios. O conceito de mímeses na Poética de Aristóteles consiste resumidamente em imitação. . A sabedoria contida na natureza pode ser integrada à investigação da natureza humana,até chegarmos a um ponto de não haver separação.Temos muitas ferramentas para se criar esta sensação e certeza de que fazemos parte do todo. Existem muitas ferramentas para encontrar esse estado de bênção, sensação de pertencimento, fundamental para sairmos do jogo do sistema.O modelo de inclusão que primeiro entramos em contato é o econômico, mas já foi comprovado que quanto mais temos, mais queremos.Acredito que muitas ações na vida são motivadas pelo desejo de pertencer, fazer parte, se sentir incluído,amado. O I ching, sabedoria milenar, foi todo construido através da observação da natureza há milênios.Fiquei maravilhada ao saber numa aula de biodança que o trovão vem da terra para despertar as sementes para a primavera, a água na sua trajetória nos leva para o abismo para depois sair para se doar, molhar a terra,prepará-la para dar fruto."Eu sou a onda, faz de mim o mar". O vento quentinho vem nos descongelar, abrir nosso espírito,levar nossa rigidez, trazer leveza, para seguir na vida como um sopro, como num átmo, um suspiro.O fogo nos convida a ter aderência, paixão,ação,chama para abrir o peito, Florescer o que tem no nosso coração. Buda encontrou sua iluminação sentado embaixo de uma árvore, Isaac Newtom,estava na fazenda da mãe, quando observou uma maçã caindo de uma árvore, esse fenômeno corriqueiro o fez pensar que havia uma força puxando a fruta para a terra,e esta mesma força poderia estar puxando a lua impedindo-a de de escapar da sua órbita, espaço à fora, a força da gravidade. Natureza também tem ciclos, é impermanência. Nós temos a capacidade de refletir sobre a natureza, estudá-la, defendê-la, porque não dançá-la? Percebo que podemos desbravar aspectos da nossa identidade entrando em contato com a nossa natureza selvagem, permitindo olhar para si mesmo, dançar o ar, terra, fogo, água, criar uma coreografia através da observação de uma árvore,fazer uma dança para o sol, dança da semente, ou dançar com os índios a dança da chuva, ou dancar a reverência aos elementos da natureza, ensinamentos contidos na mãe África e várias culturas do mundo.O ser humano é divino e não tem fronteiras.Ser orgânico, encontrar o seu passo, seu rítmo, sua gestualidade contida,sua dança pessoal,na identidade e diversidade.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

DANÇA SURREALISTA

DANÇAR EM TEMPOS DE INTOLERÂNCIA

" A FONTE ORIGINAL"