Translate

sexta-feira, 11 de dezembro de 2015

A ARTE DO PRESENTE

A natureza é observada e é fonte de inspiração. Platão dizia que tudo na criação era imitação. Sócrates dizia que a natureza era imitação. Mímises é a imitação (imitatio, em latim), designa a ação ou faculdade de imitar; cópia, reprodução ou representação da natureza, o que constitui, na filosofia aristotélica, o fundamento de toda a arte. "As pessoas são mimésis umas das outras, principalmente quando trata-se de suas idéias" O I ching, sabedoria milenar, tem a sua sabedoria contida através da observação da natureza. Por exemplo, o trovão vem da terra para despertar as sementes para a primavera.O vento quentinho vem nos descongelar, o fogo nos convida a ter aderência, florescer o que tem no nosso coração. Acredito que esta segunda pele que criamos, através da reelaboração da energia em cena, é o resultado do treinamento físico e da constante relação com a natureza e os recursos internos.Como estar em cena totalmente inteiro? Quando um artista consegue um grau de energia e humanidade que é impossível não se entregar, criar empatia e humanismo? A estrada é longa e passa pela humildade, virar humus, terra, lama. Dissolver o ego. Abaixo um texto sobre proporção áurea e a sua aplicação na arte. A possibilidade de criar e elaborar uma dramaturgia fundamenta o alto grau de observação da natureza e da vida real, para criar novos signos e símbolos. A humanidade precisa de histórias, embarcar em outros reinos e olhar o mundo de forma diferente.

Nenhum comentário:

Postar um comentário