quarta-feira, 11 de março de 2015

RECEITA PARA DANÇAR O FEMININO

Para ter ritmo, pulsar com a vida, mesmo quando estamos de cabeça pra baixo. Primeiro lugar, ter contato profundo consigo mesma.Encontrar o seu jardim secreto, sua zona de repouso e organização interna. Para perceber o seu espaço e ter a coragem e a sede de potência para mudar e assumir riscos. Para sentir beleza quando tudo em nós parece que está desbotando. Sentir o fluxo e ter fluidez, como a água, movimentar a energia e ter autonomia para decidir sintonizar com a alegria. Perceber a força do movimento para alterar uma crença ou um comportamento que não nos agrada.Podemos,socar, bater, ser leve, pular, flutuar. Trazer o fogo para dentro de si, criar paixão, tesão, sensualidade sem ser vulgar, através do movimento sinuoso e ao injetar energia aos gestos dançados. Encontrar a verdadeira raiz através do bater dos pés ou encaixar o quadril percebendo a respiração. Criar raízes e viver o aqui e agora. Construir presença, sem esquecer que somos o universo e fruto do legado dos nossos ancestrais. Ser leve, ao movimentar o corpo sem medo, abrir os braços e soltar o ser, como o vento, com giros, saltos, encontrando a energia da criança que habita em nós. A permissão para ficarmos loucas, sagradas como as árvores, que sentem suas dores com altivez e morrem de pé. A beleza do feminino consiste no universo mágico e onírico, que só nós mesmas poderemos revelar.Cada mulher precisa se desvendar, ir além dos "cinquenta tons de cinza". Precisamos ouvir o nosso chamado para a cura das nossas sombras. Sentir medo é inerente à condição humana.Ele pode ser um aliado ou um fator desencadeador de anestesia diante do mundo. Governos que se dizem democráticos, principalmente os autoritários e teocracias utilizam o medo para controlar e justificar arbitrariedades. O medo pode ser sinalizador sobre perigos reais e imaginários.Uma vez enlouqueci com uma crise depressiva e quando me curei fui ao médico,eu queria um remédio para o meu medo de cair no abismo de novo.O medico ficou espantado e me pediu para viver primeiro, porque ninguém merece uma vida de anulação, por sentir medo do que não aconteceu. Fiz um pacto comigo e mergulhei na minha complexidade,para me recriar constantemente, caos e ordem o tempo todo. O que fazer? Pertenço a esse campo mágico, com o desejo desesperado de ser eu mesma. Preste atenção nos seus sonhos. Tenha um diário. Eu tenho vários. observar no corpo as sensações e se possível expressar. O movimento cura. "Penso logo existo", conceito atribuído ao filósofo,matemático e francês, René Descartes (1596-1650), não funciona comigo. Preciso pensar, sentir e agir. Viver é buscar estar de forma integrada. Tudo passa a fazer sentido, quando me sinto inteira, pertencendo.Quando me sinto qualificada e amada. Eu afirmo que é uma questão de buscar em mim, porque se buscamos o tempo todo a confirmação de que somos incríveis nos outros, estamos perdidas. O mundo pode ser um terra de cegos, e muitas vezes somos invisíveis. A terra virou um lugar onde todo mundo busca absurdamente "ser alguém", nem que seja através da criação de uma vida editada nas redes sociais. Integridade é estar plena e presente.s por dentro e por fora.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

BLADE RUNNER

Ontem vi uma senhora grávida no último lugar num caixa de auto-atendimento, eu estava numa posição privilegiada na fila e estava lend...