"ATLETAS AFETIVOS"

O que é ser forte? Como atravessar nossos labirintos sombrios e alcançar a luz? Antonin Artaud encenador, poeta, dramaturgo Francês (1896-1948) escreveu sobre o ator ser um atleta afetivo. Comecei a semana negativa e acumulei raiva.Estava implodindo, acordei com uma mancha enorme na coxa esquerda. Dançando nos palcos e na vida, fui encontrando terra, um chão para chamar de meu.Somos "ilhas flutuantes",eu sei, e apesar de estar desequilibrada, eu sabia onde encontrar o antídoto. Eu cheguei no grupo de biodança expondo a mancha roxa e falando da minha raiva e de como ela estava sendo processada através do movimento. Todos temos sentimentos e aprender a lidar com eles é um fato. Refletimos sobre o dilema de não negar e ao mesmo tempo, não se deixar dominar, pelas emoções."Ser ou não ser?" Ser integrado exige base.Neusa Ribacionka, nossa facilitadora, nos pediu para ficarmos em circulo e nos ensinou o significado profundo de adquirir certa postura diante da vida. Ela nos ensinou a olhar a nossa base,fazer o exercício de concentrar no quadril,com os joelhos flexionados para adquirir força diante dos desafios do cotidiano, eu conhecia esse ensinamento,mas simplesmente vou esquecendo de exercitar minha força. Tenho que sair do roteiro conhecido, para não repetir padrões antigos e julgamentos falsos a meu respeito. Geralmente o nosso corpo tem uma outra historia.Fomos ensinados a" estufar o peito" para enfrentar a vida e "empinar o nariz", sem usar as pernas. É complicado ser guerreiro do coração. Aterrissar no próprio corpo, começar com os quadris, criando raízes nos pés, mantendo os pés paralelos e flexionando os joelhos. Uma simples postura, que dá força e foco.A força vem de uma experiência profunda com o corpo.Fiz esgrima e era nítida a posição dos joelhos flexicionados para se obter força e sensibilidade na direção do adversário, além da clareza da precisão dos movimentos. Esse princípio também está contido nas artes marciais e na dança clássica Indiana. Equilíbrio precário, a força não é sinônimo de tensão ou violência, significa centralizar seu ponto de equilíbrio. O movimento recriado na vida pode ser lento e doce e ocultar a sua força, da mesma maneira que a poupa de uma fruta esconde o caroço. Para os interessados em biodança o site www.pensamentobiocentrico.com.br

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

DANÇA SURREALISTA

DANÇAR EM TEMPOS DE INTOLERÂNCIA

" A FONTE ORIGINAL"