quarta-feira, 19 de março de 2014

VIAJANTE DO TEMPO

"Falar da minha aldeia", para me explicar no – e para – o mundo. Explicar-me para mim.
Meu blog ("Baraka") é fruto da tentativa de auto explicação, por meio da procura de uma linguagem pessoal.
No entanto, o rótulo da "dança indiana" – ainda – é muito forte. Por mais que tente me fazer entender,
continuo realizando a difícil tarefa de tentar me "desvincular" desta estética milenar, tão linda e rica culturalmente, para criar a minha própria.
No momento estou pronta para o meu processo de produção e montagem, que tem como principal proposta "dançar Brasília".
Me sinto livre para ampliar o diálogo com o ocidente e o que o legado da minha cultura tem de melhor.
Uma viajem de dentro pra fora, porque não preciso mais buscar o estranho, o distante, para construir minha identidade como artista.
Meu diálogo sempre foi da Índia para o Brasil. Meu novo projeto tem como foco principal a geometria, a arquitetura do ser
e a dramaturgia do corpo. Do corpo brasileiro, da brasilidade do Brasil, da terra que me gerou.
O oriente sempre estará presente, mas agora, diluído entre as novas fronteiras que estou abrindo.
Sou uma viajante do tempo, onde presente, passado e futuro fazem parte da mesma substância.
Procuro e busco o que não está restrito no tempo e no espaço. Aquela qualidade de presença que transforma qualquer instante,
superação e ternura. "Precisamos estar dispostos a nos livrar da vida que planejamos, para podermos
viver a vida que nos espera. A pele velha tem que cair para que uma nova possa nascer".

Nenhum comentário:

Postar um comentário

DANÇA DA CHUVA

Estou pesquisando sempre o eixo que emana na transição do efeito da dança na dançarina e o trabalho da dançarina sobre si mesma. Um c...