Translate

sábado, 2 de março de 2013

DANÇA & NATUREZA




  Poesia corpórea. Essa é minha principal busca em cena, através da investigação dos princípios do Bharatanatyam, estilo de dança clássica indiana. Percebi a relação da metafísica dos gestos com a natureza. Hastas (gestos das mãos), que significam flores e animais. Gestos devidamente codificados e sistematizados há milênios, que simbolizam a natureza humana e os Deuses.
  Estou em pleno processo de pesquisa sobre os elementos da natureza e a construção simbólica de uma gestualidade integrada ao divino de cada um. O exercício de não me deixar embalsamar, dançar o Apolíneo e o Dionisíaco. Integrar o espirito, ser toda, completa, concentrada e única.

  A técnica
  Método de introdução e imersão na dança baseado na natureza, estabelecido a partir das relações dos movimentos, notadamente quando a variação se efetua segundo a polaridade força/delizadeza.
  A criação de um método de análise e prática na criação coreográfica baseada nas árvores, paisagens, elementos da natureza (água, terra, fogo, ar), ou nas estações do ano (verão, outono, inverno e primavera) – os ciclos.
  Elaboração de um vocabulário simbólico do corpo
   
  Descrição da energia
  Consiste em praticar e vivenciar a própria energia, corporificando-a, para que o artista – neste caso específico o dançarino ou dançarina – possa conservá-la, qualquer que seja a origem, a escola ou a tendência da dança executada.
  Estudo sobre a maneira  pela qual o contexto cultural explica o uso de determinada dança.
  A energia é da cultura, vista através de uma determinada perspectiva e concretizada por certo ritmo.
  Geometria sagrada e proporção áurea na dança: danças menos lineares. Tridimensionalidade, recosnstrução de fluxos e refluxos. Deslocamentos energéticos baseados em padrões da natureza.  
  Propriedades matemátricas das espirais. A importânica do assimétrico.

  Equilíbrio
  A procura das peculiaridades, o equilíbrio no desequilíbrio. Partes iguais, lados desiguais,
a deformação da forma, a discrepância, a harmonia no desequilíbrio.
  Desenhar a tragetória de uma ação física. Segundo Eugenio Barba (Brindisi, Itália, 29/10/1936), autor, pesquisador e diretor de teatro. Fundador e diretor do Odin Teatret, criador do conceito da Antropologia Teatral e criador da ISTA: "a dança do pensamento em ação".

  Dramaturgia Simbólica
  Criação de uma dança pessoal, onde cada indivíduo participante possa manifestar seu próprio vocabúlario gestual e simbólico, sua própria dramaturgia e verdade na dança.

  Dançarino Intérprete
  Conciliar a semiologia "Cartesiana" (razão) com a vetorização "Artaudiana" (metafísica – Antonan Artaud (Marselha, França, 4/9/1896 – Paris, França, 4/3/1948), para criar danças a partir da corporeidade pessoal de cada dançarino ou dançarina.

  Processo de Pesquisa Autoral
  Sonhar em público. Interpretar a verdade no e com o corpo.



 

Nenhum comentário:

Postar um comentário