Translate

quarta-feira, 2 de janeiro de 2013

O corpo que pensa: o treinamento corporal na formação do ator (Stanislawski, Artaud, Grotowski, Barba, Antunes Filho)

O corpo que pensa: o treinamento corporal na formação do ator (Stanislawski, Artaud, Grotowski, Barba, Antunes Filho)



Autor: NUNES, Sandra Meyer

Título: O corpo que pensa: o treinamento corporal na formação do ator (Stanislawski, Artaud, Grotowski, Barba, Antunes Filho)

Orientador: KATZ, Helena Tânia

Este estudo discute o tratamento (teórico e prático) dado ao corpo na formação do ator, estabelecendo reflexões a partir do treinamento corporal e formulações teóricas a cerca do corpo de cinco influentes diretores de atores deste século: o russo Constantin Stanislavski (1863-1938), o francês Antonin Artaud (1896-1948), o italiano Eugênio Barba, o polonês Jerzy Grotowski e, no Brasil, José Antunes Filho. Estes diretores, além de entenderem a atuação e o processo de formação do ator como uma construção física, através de um corpo instrumentalizado por um amplo universo de técnicas corporais - abriram a perspectiva de um corpo que pensa através de suas ações. Descrentes nas habilidades da mente e do cérebro em desencadear um ato "total" do ator, estes diretores propuseram um ator que pensa com o seu corpo, com suas ações, valorizando um tipo de presença cênica proveniente do corpo em ação no mundo. Entretanto, ainda que utilizando-se das mais diversas técnicas corporais, a eliminação de bloqueios físicos e psíquicos do ator e a superação dos obstáculos que o impedem de atuar mais plenamente passa a ser mais determinante no método de trabalho destes diretores do que o acúmulo de habilidades técnicas. Quando o ator incorpora em seu treinamento técnicas elaboradas fora de eixo estético ocidental, tais como procedimentos corporais e vocais de rituais pertencentes a sociedade mais tradicionais ou princípios do budismo e taoísmo, está caracterizando a "via negativa". Ainda que estes diretores não busquem fundamento para suas pesquisas na área cognitiva, as recentes teorias das ciências cognitivas proporcionam informações capazes de ampliar a compreensão dos processos que determinam como o homem conhece e representa o mundo à sua volta, bem como o papel do corpo e da mente nestes processos. O corpo, visto como o lugar em que são desencadeados os processos cognitivos, propõe outra abordagem para os conceitos de representação, e para as relações entre mente e corpo, razão e emoção. Este trabalho, que tem como foco o teatro, estará propondo um diálogo entre arte e ciência, atento ao discurso dos diretores citados e o treinamento corporal proposto por eles. Para discutir as relações entre corpo, mente, razão e emoção, utilizaremos as teorias cognitivas do neurologistas português Antônio Damásio. E para tratar do corpo em ação no mundo, visto como o gerador dos processos de conhecimento, elegemos as teorias do biólogo chileno Francisco Valela.

Palavras-chave: Teatro , Corpo , Barba , Artaud , Grotowski , Antunes Filho

Nenhum comentário:

Postar um comentário