Translate

quinta-feira, 29 de novembro de 2012

Espetáculo de dança solidária



domingo, 18 de novembro de 2012

Respeitável Público



   Na faculdade lembro de um professor de sociologia da arte que  gostava de falar sobre a manipulação do gosto, sobre  como a nossa percepção da realidade pode ser adulterada. Se a arte perdeu a aura em função da sua fácil reprodução e difusão ditadas pelo mercado e pela mídia. O que  consideramos bom precisa do crivo da mídia? O talento está em último lugar? Anos de faculdade, estudo e elaboração de técnica servem para quem? Se estamos totalmente mediados? A busca por uma arte sublime que eleve o ser humano de bípede a " homo sapiens" continua apesar de tudo.       Muitos artistas,  continuam na tentativa de manter nosso legado, dos nossos ancestraes.  Eu não acredito em arte só para entreter, não posso comprar um quadro apenas para combinar com o sofá da sala, não consigo ver um filme ser entender que aquela determinada luz, o roteiro, e tudo o que envolve aquela linguagem foi feita para eu me entupir de pipoca no shoping, ou torcer para um vampiro se apaixonar e outras bobagens, ou uma música que não me emociona ou me faz pensar em mim mesma. Arte ruim não serve para nada. Em todas as civilizações a arte dava sentido a humanidade. No Egito um escravo não carregaria pedras para fazer uma pirâmide se aquele ato não estivesse ligado a morte e a eternidade do Faraó, os gregos assistiam tragédias e comédias durante três dias,para se purificar, ver os seus dilemas retratados , e fazer a sua catarse, enfim olhar para a sua humanidade ." A arte não deveria ser um exercício de vaidade e sim de espiritualidade". Eu fico pensando na próxima civilização que vestígios vamos deixar, qual vai ser o nosso legado? Ruínas de bundas? Eu thuuu eu quero thaaa?  Ai se eu te pego, quantas pessoas brigando pela autoria dessa obra -prima". Mas espero que no futuro o melhor do ser humano seja o nosso grande legado.


domingo, 11 de novembro de 2012

última temporada do Espetáculo Baraka

Queridos Amigos, Queridas Amigas.
Meus Mestres, Minhas Mestras.
Meus Alunos, Minhas Alunas.
A Todos e Todas Pessoas Que Amam as Artes.
Aos Artistas, Às Artistas:


No próximo fim de semana (dias 17 e 18/novembro/2012) encerro mais um ciclo da minha vida artística. Explico: após duas décadas de pesquisas, estudos, ensaios e shows, retorno da distante, misteriosa e milenar cultura indiana em direção a história, lendas e personagens de minha própria terra: o Brasil. Mais especificamente, Brasília. Trago na bagagem a fecunda e bela experiencia adquirida com os ensinamentos de um dos povos, culturalmente, mais ricos da Terra.
A cultura da Índia jamais me abandonará. As sutis e complexas nuançes da expressão artística daquele povo, especificamente na dança, me embalarão para sempre e guiarão, não só meus pés enquanto danço. A experiência adquirida está presente em minha mente e me guiará sempre que,
ao pisar no palco, a cortina abrir-se e as luzes forem acesas. Assim, minha alma e meu corpo, junto com outros ensinamentos e experiencias que decerto virão, poderão manifestar-se plenamente para que a arte da dança continue a encantar a todos que apreciam, estudam e gostam das artes cênicas.      É a arte que, inquieta, renova-se e se recusa a ficar estática.
Assim, o Espetáculo de Dança-Teatro Baraka será apresentado em sua última temporada,        depois de um ano de sucesso gratificante que, confesso, me surpreendeu.
Foram muitas apresentações em Brasília e no Brasil.
O reconhecimento do público foi maior que todos os esforços e me animou.                               Agradeço a todos e todas que assistiram, aplaudiram e estiveram na platéia comigo e no camarim,
após as apresentações. Como tudo na vida, o Espetáculo de Dança-Teatro Baraka
teve seu começo, meio e, agora, chega ao seu fim. Por isso tudo, convido a todos e todas vocês         para as duas últimas apresentações do Espetáculo de Dança-Teatro Baraka.
Ficarei muito feliz se puder abraçar a todos e todas vocês.
Estas duas últimas apresentações do Espetáculo de Dança-Teatro Baraka são dedicadas                   a arte da dança. São dedicadas a todos e todas voces. Vamos celebrar juntos!
Conto com a presença de todos e todas. Até lá.

TOMEM NOTA:
Espetáculo de Dança-Teatro Baraka      
Criação, Pesquisa, Coreografia, Produção, Direção e Performance: MIRABAI
LOCAL: Complexo Cultural Brasil 21
Setor Hoteleiro Sul, Quadra 06, Conjunto A, Bloco A, Sala 03.
(Ao lado da Torre de TV).
DATAS: 17 (sábado) e 18 (domingo)/novembro/2012
Sábado: 17 de novembro, 21 hs.
Domingo: 18 de novembro,  20 hs
INGRESSOS: 40,00 e 20,00 (livre para todos os públicos).
Contatos: <mirabai_bsb@yahoo.com.br>
ou (61) 8193-7129 (Carlos Guilherme) <bsbcapitalbr@gmail.com>



quinta-feira, 8 de novembro de 2012

Complexo Cultural Brasil 21 última temporada do espetáculo Baraka da atriz-dançarina Mirabai

Espetáculo de dança Baraka última temporada no complexo Cultural Brasil 21
data - 17 e 18 de novembro
hora - Sábado dia 17 /11 - 21:00 horas
           Domingo dia 18/11- 20:00 horas

 Ingressos - 40,00 inteira 20:00 meia

Complexo cultural Brasil 21 última temporada do espetáculo de dança Baraka






    O espetáculo Baraka é o resultado de anos de pesquisa sobre a minha gestualidade e investigação para criar a minha expressividade.Tudo o que se refere a identidade ou assinatura necessita de tempo e tempo exige sabedoria para se ter paciência consigo mesmo.A cultura do entretenimento de fácil digestão e os prazos gerados por patrocínios e a própria ância de nascer logo são desafios.Afinal como conciliar a necessidade de se fazer uma arte verdadeira e profunda com o fantasma do dinheiro, do tempo , da alma para concretizar uma idéia? Fico pensando no Charles Chaplim que era uma grande perfeccionista e chegava a gravar uma cena trezentas vezes, algo impensável nos anos 20!
    Eu acredito no caminho do meio, o Baraka levou quatro anos para ser realizado e ele é apenas o começo da minha tragetória que inclue um processo, sou uma "obra em progresso" .Encerro esse ciclo India ou oriente sabendo que hoje são ferramentas de trabalho, um veículo para chegar mais perto de mim, de minha sombra e minha luz.Falar de minha aldeia para  que cada gesto seja o caminho para acessar a minha memória corpórea , deixar o corpo falar sobre todos os que vieram antes de mim, a vibração contida numa árvore, um pôr do sol.Gostaria de agradecer a todas as pessoas que saíram de suas casas e abriram mão de outros chamados ou convites para me ver em cena, no palco sem cenário ou luz mirabolante, sem fumacinha ,tudo estava lá escrito no meu corpo pronto para ser narrado. Gratidão a cada aplauso, isso é o que todo artista espera e  compensa toda a sua vontade de deixar a sua humanidade no mundo.