Postagens

Mostrando postagens de 2011

Processo de pesquisa

“NAMASTÊ!”

Meus amigos, minhas amigas: eu vi. Melhor, tive o grande privilégio de assistir às 12 apresentações da professora, atriz e dançarina MIRABAI (Sala Alberto Nepomuceno/Teatro Nacional/Brasília/setembro/2011). Sem falar na pré-estréia, no dia primeiro daquele mês.
Quando digo “grande privilégio”, não é exagero ou mera retórica.
Contratado inicialmente pela professora MIRABAI como diretor de arte e produção gráfica para desenvolver o material impresso de seu Espetáculo de Dança Baraka, fui conquistado e me envolvi integralmente pela arte, conteúdo e verdade da proposta dela.
E mais: percebi que ela, além de ser a artista que concebera – e dali há uns meses apresentaria o Espetáculo (começamos a trabalhar em fevereiro) – era dela também a enorme responsabilidade para tornar possível a realização do próprio Espetáculo.
Desde a captação dos recursos junto ao FAC (Fundo de Apoio à Cultura) até o cumprimento total de todas as reponsabilidades, tudo – …

A HISTÓRIA DA ILUMINAÇÃO

A história da iluminação 1. Introdução

O homem sempre tentou aproxima-se de sua alma adorando a luz do sol ou da lua. Ao dominar o fogo, acendendo fogueiras, deu-se início a história da iluminação artificial. Até hoje a luz é um símbolo de espiritualidade e misticismo.

O homem primitivo deixou suas marcas nas cavernas escuras com o auxílio de tochas e, através de seus rituais e lendas, a luz funcionou como elemento teatral. O fogo acompanhou a magia dos sacerdotes no início da história, dando-lhes mistério e teatralidade dramática. Portanto, a melhor forma de se estudar a história da iluminação é através do teatro.

A luz natural foi usada no teatro pelos gregos. Basta examinar a estrutura da dramaturgia da Grécia para perceber como o drama acompanha o caminho do sol, do leste para o oeste. As peças foram escritas em harmonia com o ritmo da luz e seus anfiteatros projetados com o mesmo objetivo.

2. Primeiros caminhos da luz artificial

O teatro, como o conhecemos hoje, foi cri…

Arquitetura irreversível – o corpo, o espaço e a flecha do tempo

Há alguma diferença entre Dança e Arquitetura? Essa pergunta, que pode parecer totalmente sem sentido à primeira vista, se mostra extremamente difícil de ser respondida quando começamos a esmiuçar as sutilezas de cada um desses dois campos de expressão do ser humano. É claro que existe uma diferença óbvia, que pode ser enunciada de forma quase tautológica dizendo-se que dança é dança e arquitetura é arquitetura. Por outro lado, ao olharmos com mais cuidado as questões colocadas atualmente pela dança e pela arquitetura percebemos que há evidentes mostras de uma convergência, ou talvez possamos dizer até mesmo de uma superposição, entre os domínios das duas atividades. Isso se faz notar especialmente quando observamos que profissionais de ambas as áreas começam a usar os mesmos termos e as mesmas estratégias para tratar do corpo, de sua existência no espaç…
Imagem

Navarasa – the nine moods, Nine Sentiments, Art Forms, India, Kerala Videos

Navarasa-The Nine Moods

Imagem
CasaíndiceRecursosSobre MimFóruns Navarasa-The Nine Moods 10 mar 2008 por Anjali

Aprendizagem Navarasa é uma sessão importante para um estudante de dança. Aqui, o professor explica sobre as diferentes expressões faciais, como e quando ele é usado. É a sessão mais excitante para os alunos a fazer caretas. Imagine uma mãe ocupada na cozinha e seu filho derrama uma garrafa de óleo no chão. Adivinhe qual será o sentindo como. No meu caso é sem dúvida vai ser Raudra. E depois seguido por um Tandava. Voltando ao meu ponto, de modo que é Navarasa? Rasa é sobre o estado de espírito humano. Sua sobre o que a mente se sente ea expressão do sentimento depois. Em Natyashastra a Bharata, a Rasa é uma emoção experimentada pelo público criado pela expressão facial ou o Bhava do ator. Na dança clássica indiana é referido como Rasa abhinaya. Sr. VP Dhananjayan em seu livro chamado "A Dancer em Dança", diz Rasa significa aquilo que está sendo experimentado ou usufruído.Daí a Rasika palavra é …

LIVRO DE VISITAS

Imagem
Maria querida!!! Sabe de uma coisa? Tenho uma amiga que é uma grande artista!!! Estou encantada com o seu trabalho, a sua sensibilidade musical traduzida na delicadeza e presença marcante do seu movimento. Até agora, dançam diante dos meus olhos suas ricas e vivas expressões faciais, da paz à alegria, da dor e tristeza avassaladoras à iluminação. Amei assistir sua pré-estréia e depois vê-la novamente após um mês de apresentações. Ontem, demovida da natural curiosidade da primeira vez, pude me deliciar ao sorver da graça da sua arte, me permitir inspirar sua expressão sensível e me arrepiar pela emoção de perceber a revelação de sua alma em harmonia à melodias tão sabiamente escolhidas. Em muitos momentos me vi meditando em cada movimento sutil do seu ser dançante. PARABÉNS QUERIDA!!! Quero poder ter muitas outras oportunidades para apreciar a bela, vibrante e SUA dança. Falamos em espectativas recentemente e você superou todas as minhas espectativas. Estou muito feliz por sua…

DANÇA!

Imagem
Dançar é promover um diálogo entre o corpo e a alma. Uma matriz desenhada com arquivos secretos . Um espaço íntimo e particular. Promovo uma arte que possue um incrível diálogo com as artes visuais, minha dança e um poema visual, meus movimentos cortam o espaço desenhando cada gesto,uma geometria, danço em círculos, triângulos, espiraes , corto o espaço, como um arquiteto., danço poesias , meu corpo vira um texto, cheio de símbolos e significados, meu pensamento em ação. Sou atriz quando dou intencidade a cada interpretação e crio uma dramaturgia em cena. Sou percurssionista quando toco e sou um instrumento de percussão.marcando o rítmo. Não domino a técnica da arquitetura, música, artes visuais e literatura, mas integro essas linguagens a minha performance. Se antes isso soava pretencioso ou desqualificava minha proposta de linguagem, hoje acredito que posso sim, para me expressar reelaborar minha forma de atuar , até nem precisar me rotular de dançarina, posso estar no caminho…

Espetáculo de Dança Baraka

Espetáculo de Dança Baraka

O seleto público que assiste ao Espetáculo de Dança Baraka, em Brasília, tem a rara oportunidade de ver um show de técnica, competência e arte. Em tempos de “artistas instantâneos” e “celebridades” fabricadas, a atriz e dançarina MIRABAI, professora da Secretaria de Educação do GDF, prova que beleza e talento não se conseguem com apelação, silicone, botox ou dezenas de cirurgias plásticas. Por isso, não é exagero reafirmar que o público que assiste a seu espetáculo, além de seleto, pode se considerar privilegiado.
Continua em cartaz na Sala Alberto Nepomuceno, Teatro Nacional em Brasília, a artista/dançarina MIRABAI, que encanta a todos que a assistem. O espetáculo tem foco central na sua performance, resultado de muitos anos de estudos e pesquisas da dança clássica indiana.
Sem recursos mirabolantes de iluminação ou objetos que, a título de cenário, possam atrapalhar ou desviar a atenção da platéia, a atriz dá um show de técni…

MIRABAI DANÇA BARAKA

Imagem
TeatroMirabai dança Baraka
09/09/2011
Uma alma desdobrada em gestos e ritmos
Atriz, dançarina, pesquisadora e professora, formada em artes cênicas pela Faculdade Dulcina, Mirabai é a artista de Brasília que se identifica inteiramente com a dança indiana e outras formas orientais de expressão. Neste mês de setembro, Mirabai faz temporada na pequena e aconchegante Sala Alberto Nepomuceno, do Teatro Nacional. O espetáculo chama-se Baraka e utiliza as expressões corpóreas do estilo bharata natyam, forma clássica e antiga praticada na Índia. Mirabai é o nome artístico e espiritual de Maria Vilarinho Cardoso, que nunca foi à Índia, mas traz a Índia dentro de si.

Baraka significa sopro e a palavra tem origem no sufismo, referindo-se à presença do sagrado da vida. No espetáculo, inspirado em rituais de várias tradições pertencentes a diversas culturas, a presença feminina é fonte de inspiração. O corpo da mulher tem sua geografia, traçada desde detalhes como a pintura das mãos à …
Imagem
TeatroMirabai dança Baraka
09/09/2011
Uma alma desdobrada em gestos e ritmos
Atriz, dançarina, pesquisadora e professora, formada em artes cênicas pela Faculdade Dulcina, Mirabai é a artista de Brasília que se identifica inteiramente com a dança indiana e outras formas orientais de expressão. Neste mês de setembro, Mirabai faz temporada na pequena e aconchegante Sala Alberto Nepomuceno, do Teatro Nacional. O espetáculo chama-se Baraka e utiliza as expressões corpóreas do estilo bharata natyam, forma clássica e antiga praticada na Índia. Mirabai é o nome artístico e espiritual de Maria Vilarinho Cardoso, que nunca foi à Índia, mas traz a Índia dentro de si.

Baraka significa sopro e a palavra tem origem no sufismo, referindo-se à presença do sagrado da vida. No espetáculo, inspirado em rituais de várias tradições pertencentes a diversas culturas, a presença feminina é fonte de inspiração. O corpo da mulher tem sua geografia, traçada desde detalhes como a pintura das mãos à u…

ESPETÁCULO DE DANÇA BARAKA

Imagem
ESPETÁCULO DE DANÇA BARAKA Em cartaz na Sala Alberto Nepomuceno, Teatro Nacional, em Brasília, brilha há dois fins-de-semana a estrela da dançarina e atriz MIRABAI.
. Sem artifícios cenográficos ou equipamentos que possam concorrer com ela própria, a artista mostra ao público que o que está em cena é sua arte, na mais pura tradução da palavra. A platéia, embevecida e surpresa, assiste ao espetáculo em silêncio absoluto, até que – sem resistir e junto com a atriz – explodir dançando, cantando e marcando o ritmo com palmas, na última cena quando, ao som de “Ô Abre Alas”, de Chiquinha Gonzaga, a apresentação chega ao final. A temporada da dançarina e atriz MIRABAI fica em cartaz, ainda, por dois fins-de-semana (dias16, 17, 18 e 23, 24, 25 – sextas, sábados e domingos de setembro, às 19 horas), na Sala Alberto Nepomuceno, Teatro Nacional, em Brasília.

Programa Alternativo apresenta dança clássica indiana

Imagem

MATERIAL PARA DIVULGAÇÃO CULTURAL

MATERIAL PARA DIVULGAÇÃO CULTURAL

PREZADO JORNALISTA:
Abaixo, “release” sobre evento cultural que tem “Patrocínio Cultural" do Fundo de Apoio a Cultura do Distrito Federal/FAC/DF, “Parceira Cultural” do Correio Braziliense e “Apoio” da Secretaria de Assuntos e Políticas para Mulheres Educadoras/Sindicato dos Professores do Distrito Federal (SINPRO/DF).
Agradecemos a divulgação e, havendo interesse de incluir o Espetáculo de Dança Baraka na pauta para realização de matéria ou reportagem específica neste veículo, favor entrar em contato com:
(61) 9143-4491 (MIRABAI) ou mirabai_bsb@yahoo.com.br
(61) 9164-2769 ou bsbcapitalbr@gmail.com
Em “anexo”, 2 fotos (JPG – crédito das fotos: Marcelo Dischenger).
OBSERVAÇÃO IMPORTANTE: favor acusar recebimento deste e-mail.
..............................................................................................................................
INFORMAÇÕES SOBRE O EVENTO:
Espetáculo de Dança Baraka
Local: Teatro Nacional…