Translate

quarta-feira, 1 de dezembro de 2010

DANÇA DO ENCANTAMENTO

A dança clássica Indiana codificou além dos sentimentos, mãos, ritmo e todas as partes do corpo, a profundidade da presença feminina em uma dança, quando a coreografia e os sentimentos da dançarina proporcionam momentos de beleza e lirismo é considerada uma dança com Lasya.No entanto Existem ainda duas categorias de movimentos que todos os b ailarinos podem realizar independentemente de seu sexo: o tandava, aspecto masculino e vigoroso da dança, e o lasya, que representa o lado elegante e feminino. Todos os estilos são executados com os pés descalços, embora em alguns deles sejam utilizados os ghungroos (guizos nos tornozelos) para aumentar o ritmo dos passos. Os mudras (gestos com as mãos), os estilizados movimentos do rosto e dos olhos e os complexos esquemas rítmicos constituem outras características dessa dança. De todos os treinamentos corporaes que realizei percebi que apesar da contribuição desta dança , no que se refere à forma, o conteúdo , a essência , o suco que nesta dança é significa Rasia , eu desenvolvi aliando a técnicas corporeas pertencentes a outras culturas, o contato improvisação e a presença da energia através do contato com o outro, adorei uma oficina que fiz com umn dançarino chamado Hary Salgado, onde fiz paralelos com os" lugares brandos", isso de ver um movimento natural , um corpo treinado para a dança suave. Não permito nenhum massacre da minha alma para dominar nenhuma técnica corporal, porque acredito no ser humano quando se sente amado e aceito. Uma vez fui tão massacrada por uma certa bailarina de dança clássica indiana que quase desisti de tudo, com muita depressão vi a minha alma sendo pisada continuamente, como se massacrar a alma de alguém fosse pré-requisito para se aprender alguma coisa profundamente com o todo o ser. Sinto que isso foi uma alavanca para buscar professores sinceros , grandiosos e ao mesmo tempo geniais no que faziam se doando sem medo do discípulo superar o mestre. Recentemente fiz um trabalho de estudo da coluna, e sensações mágicas e ancestrais uterinas foram despertadas em mim, uma expoente da dança ao expressar minha ansiedade , ao pedir um abraço para me auto-regular ela me regeita e me aconselha a ser guerreira. Mas com o tempo eu aprendi a separar o que é o meu processo e o processo dos outros e por mais brilhante que um artista seja ele é humano e tem suas limitações. Mas adotei o caminho da suavidade, Lasya, um mistério que só o meu corpo sabe onde vai me levar, mas que faz uma plátéia sentir que somos seres de amor.

Nenhum comentário:

Postar um comentário